Arquivos da categoria: Concursos de Odontologia

Aeronáutica do Brasil abre vagas para Médico, Dentista e Farmacêutico.

Google BookmarksEmailCompartilhar/Favoritos
 As inscrições para o concurso da Aeronáutica do Brasil destinado a Médicos, Farmacêuticos e Dentistas terminam nesta terça-feira, dia 03 de dezembro. Os candidatos voluntários para servir no Rio de Janeiro deverão dirigir-se ao Terceiro Serviço Regional de Recrutamento e Mobilização (SERMOB3), localizado no interior do complexo do III COMAR, na Praça Marechal Âncora, nº. 77, Castelo – RJ. Já os interessados em servir em Belo Horizonte deverão dirigir-se à Seção Mobilizadora 34 (SMOB34), no interior do Parque de Material de Lagoa Santa, na Avenida Salgado Filho, s/nº, Vila Asas, Lagoa Santa.
As oportunidades são para atuar no Terceiro Comando Aéreo Regional (III Comar), no Rio de Janeiro – RJ e Lagoa Santa – MG. Ao todo são 143 vagas, de ambos os sexos, para prestação do Serviço Militar Voluntário.
Podem concorrer os brasileiros natos, voluntários, do sexo masculino quites com o Serviço Militar conforme as leis que determinam o cumprimento do Serviço Militar Obrigatório Inicial e do Serviço Militar para o MFD, ou mulheres, que possuam diploma de Medicina, Farmácia e Odontologia, e sendo necessário para as duas últimas áreas, que os profissionais tenham, no mínimo, dois anos de formados em 31 de janeiro de 2014 e uma especialidade (será permitida uma habilitação para os Farmacêuticos). É necessário também ter, no mínimo, 1,60m de altura, se do sexo masculino, e 1,55m, se do sexo feminino.
A triagem dos candidatos constará de avaliação curricular por banca examinadora, designada pela Diretoria de Saúde (DIRSA), cujos critérios de pontuação são a escolaridade, cursos e experiência profissional. Com informações do PCi Concursos.

Concurso público para aumentar o número de dentistas em São Paulo

Concurso público pode ajudar déficit de CDs em São Paulo
A Prefeitura lançará ainda este ano edital para suprir a falta de profissionais na rede pública municipal. Faltam 520 profissionais e 70% dos 1.053 CDs só trabalham meio período

A cidade de São Paulo tem um déficit de 33% de cirurgiões-dentistas na rede pública municipal. Faltam 520 profissionais e, dos 1.074 que atuam na rede, 70% só trabalham meio período – há unidades onde apenas quatro emergências são atendidas por dia. Além disso, 30% das cadeiras odontológicas precisam ser trocadas. Para solucionar o problema, a Prefeitura prepara um edital de contratação de profissionais de saúde para este ano, sem precisar quantos cirurgiões-dentistas serão contratados.
As informações constam no diagnóstico que a nova gestão fez da área para planejar as ações dos próximos anos. Segundo a Secretaria de Saúde, a gestão Fernando Haddad (PT) herdou uma situação “preocupante” nessa área, resultado de falta de investimentos e também de um volume muito pequeno de parcerias federais. Segundo o coordenador de Saúde Bucal da secretaria, Douglas Schneider, houve um déficit acumulado de investimentos na área de recursos humanos.
A falta de profissionais também atinge as equipes do Programa de Saúde da Família (PSF). São Paulo tem 1,2 mil equipes, que deveriam contar com, no mínimo, um grupo odontológico para cada duas delas. Mas há somente 239 dentistas para os 1,2 mil grupos. A atual gestão avalia que só vai conseguir adequar o número de CDs ao longo dos próximos quatro anos.

UBSs sem estrutura
Das 443 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), 370 têm atendimento de saúde bucal. Na maioria delas, os atendimentos emergenciais são limitados a quatro e concentrados no período da manhã. Além das UBS, a cidade conta com 28 centros de especialidade odontológica (CEOs). Neles, também há um déficit de profissionais – enquanto trabalham 128 dentistas, há 60 cargos vagos (31%).
Das 130 cadeiras odontológicas desses centros, 40 precisam ser trocadas. “A Prefeitura não tem contrato de manutenção”, diz o coordenador. O município solicitou ao Ministério da Saúde 110 cadeiras. Também espera a reforma de 130 UBSs. Por enquanto, não há planos de expansão da rede, mas de melhoria da atual. A aposta da atual gestão está em buscar verbas em Brasília e no concurso público.

Fonte: Abo